DEATHCLEAN® - Vírus Vs. Bactérias | Perigos de Contágio

Todos nós quando escutamos estes dois nomes ou os lemos em algum lugar, ficamos imediatamente à defesa, sabemos ou imaginamos automaticamente que nos podem vir a causar doenças ou problemas à nossa forma de vida, mas o que muitas pessoas não sabem é o porquê e como nos podemos defender destas ameaças e em que altura elas representam para nós um perigo significativo.

Vírus e Bactérias DEATHCLEAN

O que estas partículas tem em comum é o facto de realmente serem a causa de muitas doenças conhecidas, mas as diferenças entre elas são bastantes e significativas. Os vírus são a forma de vida conhecida menor e mais simples. São 10 a 100 vezes menores do que as bactérias, com um tamanho de 20-300 nm.

A maior diferença entre os vírus e as bactérias são que os vírus devem de ter um hospedeiro vivo, como uma planta ou um animal, onde se multiplicam, enquanto a maioria das bactérias podem viver e crescer em superfícies não-vivas. As bactérias são organismos intercelulares (ou seja, vivem entre células). Enquanto que os vírus são organismos intracelulares (infiltram-se na célula hospedeira e vivem dentro dessa célula), mudam o material genético da célula hospedeira a partir da sua função normal, para se reproduzirem em múltiplas cópias.

Pegando no caso da Hepatite C, uma das doenças causadas por um vírus, estima-se que 90% da população infetada desconhece que é portadora e já provocou em Portugal (dados de 2005) 1576 mortes, sendo a 9ª causa de morte no nosso país. Tenha-se em conta que o número registado neste momento de pessoas portadoras do vírus do HIV em Portugal é de 14 000, mas o organismo das Nações Unidas diz que esse número se situará entre os 29 000 e os 42 000, note-se portanto que existem milhares de pessoas infetadas e que desconhecem.

Outro dos fatores importantes para a DEATHCLEAN® é a desinfeção! As bactérias vivem e reproduzem-se em superfícies não vivas, isentas de sangue e resíduos, ou seja, superfícies aparentemente “limpas”. Bactérias estas, potenciais causadoras de doenças como a Tuberculose, Tétano, Disenteria, Gonorreia, Meningites, etc. Considerada durante muito tempo uma doença erradicada, a Tuberculose continua a afetar quase 3 mil portugueses… e não apenas grupos de risco, sendo que em 2008 registaram-se 167 mortes devido a esta doença.

Os vírus e as bactérias são das principais ameaças à nossa vida nos dias que correm, sendo quase sempre uma ameaça invisível e silenciosa.