DEATHCLEAN® - O QUE FAZEMOS | Descontaminação

A limpeza de um local de Crime e Trauma está relacionada diretamente com a morte, o que para muitos ainda é um tabu, infelizmente para outros é algo que já experienciaram.

Mas, a maioria de nós, apenas só assiste na TV. Séries como por exemplo o "CSI" mostra-nos um pouco toda a atividade pós-morte existente. As forças policiais, os bombeiros, os investigadores e os médicos legistas estão presencialmente no local do incidente, avaliando a vítima, investigando o local, recolhendo as provas e no final efetuam a remoção do corpo. O que raramente é mostrado na TV é o que acontece depois disso. Todos os profissionais saem, deixando o local entregue à família, os familiares deparam-se então com um local ainda coberto de sangue, enfrentando uma perspetiva traumática de toda aquela cena. Pois algo que esses profissionais não o fazem, é limpar o local e todos os vestígios presentes! Remover os vestígios deixados por uma morte é da responsabilidade da família da vítima, assim sendo, são os membros da família que terão de efetuar a limpeza, uma tarefa quase inimaginável e traumática.

No final dos anos 90 nasceu nos Estados Unidos da América uma nova indústria com o nome Crime Scene Cleanup (Limpeza de Cenas de Crime). Atualmente chama-se CTS Decon (Descontaminação & Limpeza de Cenas de Crime e de Trauma) - uma vez que a maioria dos casos ocorridos não são crimes mas sim suicídios, mortes naturais, acidentais e decomposições - Em Portugal o serviço surgiu em 2008, com a criação da DEATHCLEAN®, a primeira acreditada na Europa.

Independentemente da causa, limpar o local depois de uma morte traumática não é apenas uma tarefa potencialmente horrível. Também exige um treino muito específico e um conhecimento especial para efetuar corretamente o trabalho, algo que é perigoso, cansativo e que pode traumatizar pessoas de "estômago fraco". Por norma a limpeza, desinfeção e restauração do local onde ocorreu o incidente demora em média várias horas, chegando normalmente a alcançar 1 ou mais dias de trabalho, um trabalho muito preciso, minucioso e cuidadoso, pois nenhuma prova, vestígio ou recordação do que se passou poderá ficar no espaço.

A desinfeção e limpeza de um local de crime ou trauma envolve a limpeza de locais de risco, contaminados biologicamente. A DEATHCLEAN® efetua a restauração do local, colocando tudo como estava previamente antes do incidente, poupando a família a essa traumática intervenção. Quando este tipo de situações ocorrem, o trabalho dos nossos técnicos é remover totalmente qualquer vestígio do que tragicamente aconteceu e todos os riscos biológicos presentes, o sangue, outros fluidos corporais ou tecido humano são considerados como uma perigosa fonte de infeção. É necessário treino e formação especial muito específica e vocacionada para este tipo de limpeza, para que em segurança se possa efetuar a recolha de todos os vestígios e verificar corretamente todo o local a restaurar. Todos os técnicos da DEATHCLEAN® possuem essas habilitações, certificações e uma ampla experiência para lidar com a limpeza destes cenários, pois só assim este tipo de serviço poderá ser efetuado com total garantia de sucesso.

O local onde ocorreu uma morte possui imensos perigos que pouca gente conhece ou está ciente do seu verdadeiro risco. Além do perigo existente na recolha dos resíduos de risco biológico, qualquer fluido corporal ou vestígio que fique "esquecido" devido à incorreta limpeza do local irá provocar, passado meses ou anos, graves problemas de saúde aos residentes da habitação. Todo o local deverá ser verdadeiramente limpo e não apenas aparentemente limpo.

DEATHCLEAN - Descontaminação de Locais Contaminados

Cada cenário, morte, local ou demais fatores, diferem de caso para caso, por muito que sejam similares todos eles diferem em vários pontos. A limpeza de um cenário violento, como por exemplo, nos casos de suicídios normalmente por arma de fogo, deixam no local uma imagem visivelmente perturbadora e traumática, existe imenso sangue no chão, paredes, teto e em todo o mobiliário existente, requer imenso tempo de limpeza, desinfeção e uma inspeção muito precisa e minuciosa de cada espaço, associado a todo este árduo e moroso trabalho está o fator psicológico que terá de ser emocionalmente estável para manter sempre o elevado grau de profissionalismo exigido, algo que não podemos pedir à família, pois se a mesma decidir efetuar a limpeza o seu lado emocional será o primeiro factor a surgir e todo o trauma associado à tarefa irá afetar para sempre o familiar exposto a tais condições.

Nos casos das mortes acidentais/naturais, intituladas decomposições, normalmente não existe tanto sangue presente nem projetado pelas superfícies, mas sim uma grande concentração de fluidos corporais, que por vezes poderá ser até mais chocante que nos casos de homicídios ou suicídios. Um corpo humano que esteve em decomposição vários dias, semanas ou até meses passa sempre por imensas transformações, após a morte o corpo entra em decomposição, liberta fluidos e um odor intenso que atrai imensos insetos. É um ambiente nada agradável, sendo que o pior é o mau odor proveniente da decomposição que mesmo após a remoção do corpo persiste com alguma intensidade, um cheiro muito característico. Um trabalho de limpeza e desinfeção seguido pela purificação e deodorização do local e por vezes de toda a habitação.

A garantia do sucesso deste serviço apresentado pela DEATHCLEAN® está na pioneira e certificada formação profissional que possuímos, na experiência e no cuidado para com cada cliente e em toda a atenção e apoio prestado aos familiares da vítima. Todos os nossos colaboradores analisam cuidadosamente cada caso de uma forma muito particular e cuidada, prestando sempre à família todos os esclarecimentos necessários. O nosso apoio é permanente e a nossa disponibilidade é imediata 24H por dia.

DEATHCLEAN® - coronavírus SARS-CoV-2 | covid-19

ADEATHCLEAN® é uma empresa nacional especializada e devidamente acreditada internacionalmente para intervir em situações de Risco Biológico, removendo toda a contaminação existente, que inclui intervenções para a limpeza e desinfeção (descontaminação) de locais contaminados ou com suspeita de contaminação pelo novo Coroanvírus SARS-CoV-2, que provoca a doença COVID-19.


Não nascemos com o Coronavírus SARS-CoV-2 (COVID-19)

Somos especialistas com treino e formação para atuação em locais onde existe a presença de diversos agentes biológicos, como vírus, bactérias e fungos, incluindo também intervenções em cenários de Bioterrorismo.

A DEATHCLEAN® é uma empresa pioneira, criada em 2008, sendo desde então uma referência nacional para intervir na limpeza e desinfeção de locais contaminados, colaborando diretamente com diversas entidades públicas nacionais.

A contaminação pelo novo Coronavírus é uma situação considerada de Risco Biológico, como tal, a limpeza e desinfeção de locais afetados pelo Coronavírus não pode ser realizada por empresas que não estejam devidamente legalizadas e com formação certificada adequada conforme disposto na legislação nacional. 


Somos a única empresa em Portugal

ADEATHCLEAN® é a única empresa em Portugal que está legalmente habilitada com formação técnica certificada para atuar em concordância na:

  • Limpeza, desinfeção e descontaminação de todas as áreas e superfícies afetadas pelo Coronavírus (COVID-19);
  • Correto manuseamento e legal destino dos resíduos contaminados com risco biológico;
  • Emissão de certificado de desinfeção para ser apresentado às entidades competentes.

Sabia que...

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou, a 16 de maio de 2020, indicações expressas e bem claras para a Limpeza e Desinfeção de Superfícies no contexto da COVID-19:

  • Em espaços interiores a aplicação de desinfetantes nas superfícies através de pulverização, fumigação ou nebulização, não é recomendada para a COVID-19. A pulverização, como método primário na estratégia de desinfeção, é ineficaz na remoção de contaminantes;
  • Pulverizar desinfetante em superfícies não demonstra ser eficaz na remoção de matéria orgânica e também não alcança superfícies cobertas por objetos, têxteis que se encontrem dobrados ou superfícies com relevos detalhados.

A mesma organização reforça ainda que:

  • A limpeza ajuda a reduzir significativamente a carga microbiana em superfícies contaminadas e é o primeiro passo essencial em qualquer processo de desinfeçãoA matéria orgânica (sujidade) impede o contacto direto de um desinfetante com uma superfície e inativa o modo de ação dos desinfetantes;
  • Pulverização ou nebulização de espaços exteriores, também não é recomendado para eliminar o vírus da COVID-19 ou qualquer outro microrganismo patogénico, porque o desinfetante é inativado pela sujidade ou detritos e não é possível limpar manualmente e remover toda a matéria orgânica destes ambientes. Para além disto, pulverizar superfícies porosas, como por exemplo passeios e caminhos sem pavimento, será ainda menos eficiente.

Não só vem reforçar todas as indicações apresentadas, desde sempre, pela DEATHCLEAN®, como comprova também que todos os métodos utilizados por todas as outras empresas se revelam incorretos.

A DEATHCLEAN® apenas atua e garante a desinfeção com a prévia limpeza minunciosa de todas as superfícies. Qualquer outra solução apresentada é incorreta, revelando total desconhecimento pelo processo e irá contra as recomendações de uma organização mundial na área da saúde, onde todas as nações baseiam as suas orientações e normas.

Experiência, treino e formação é uma exigência nesta área. Não descure a sua saúde e a sua segurança, consulte apenas empresas especializadas como a DEATHCLEAN®. 

Coronavirus COVID-19

DEATHCLEAN® - Sangue | um resíduo perigoso infecioso

A Agência Portuguesa do Ambiente informa, que os "Resíduos Perigosos são produzidos essencialmente no setor industrial, mas também na saúde, na agricultura, no comércio, nos serviços e até nas casas dos cidadãos comuns. Devido à sua perigosidade quer para o Homem quer para o meio ambiente, deve ser levada a cabo uma correta gestão dos mesmos.

A Portaria n.º 209/2004, de 3 de março, publica no seu anexo I a Lista Europeia de Resíduos, sendo indicado para cada tipo de resíduo incluído na Lista se o mesmo é ou não perigoso".

Os Resíduos contaminados ou com suspeita de contaminação por sangue, por outros fluidos corporais potencialmente infeciosos (ex.: sémen, secreções vaginais, líquido cefalorraquidiano, líquido sinovial e líquido amniótico), como também qualquer outro material potencialmente contaminado (ex.: vómito, fezes) ou exposto a agentes biológicos (ex.: vírus, bactérias ou fungos), são classificados como Resíduos Perigosos pois possuem características de perigosidade “H9 – Infeciosos” (anexo II da Portaria n.º 209/2004, de 3 de março), sendo: “matérias que contenham microrganismos viáveis, ou suas toxinas, em relação aos quais se saiba ou haja boas razões para crer que causam doenças no Homem ou noutros organismos vivos”.

Na definição da característica de Perigosidade H9 - Infecioso encontram-se os termos seguintes:

  • Microrganismo: um organismo celular ou não celular, capaz de se replicar ou de transferir material genético (algas, bactérias, vírus, fungos, parasitas, priões, plasmídeos e variantes geneticamente modificadas);
  • Viável: a viabilidade reporta-se ao estado do microrganismo à data da produção do resíduo;
  • Toxinas: quando produzidas por microrganismos tornam os resíduos "infeciosos", mesmo que o microrganismo produtor não esteja presente;
  • Causa de doença: é abrangente a qualquer doença, independentemente da gravidade.

Na característica de perigosidade imputável ao resíduo, qualquer material contaminado que foi exposto a fatores ou ambientes infeciosos (ex.: sangue, fezes, dejetos, locais de morte, acumulação de "lixo", insalubridade, inundação por águas esgotos, etc.), é considerado um Resíduo Perigoso Infecioso com perigos para a saúde humana e dos seres vivos, onde é proibida a sua colocação nos recipientes/contentores destinados à deposição de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), resultando numa contraordenação ambiental muito grave, com coima mínima de 20.000€.

Deverão ser encaminhados para um operador de gestão licenciado para o tratamento de resíduos perigosos, sendo apresentado como prova do transporte e entrega uma Guia eletrónica de acompanhamento de resíduos (eGAR).

A DEATHCLEAN® é a única entidade nacional que se certificou e legalizou para intervir na limpeza e desinfeção de locais contaminados com risco biológico, garantindo assim a legal limpeza e deposição dos Resíduos Perigosos Infeciosos.

DEATHCLEAN Desinfecao

DEATHCLEAN® - Desinfeção Vs Desinfestação

Frequentemente deparamo-nos na utilização da palavra desinfeção associada ao controlo de pragas (desinfestação), apesar de transmitir a noção de ser algo idêntico, existem muitas diferenças entre ambas, senão vejamos:

    • Desinfestação: Eliminar o que infesta (controlo de pragas - pest control), a exterminação ou destruição de insetos, roedores e outros seres;
    • Desinfeção: Eliminar o que infeta, é o método capaz de destruir todos os microrganismos patogénicos (ex.: vírus, bactérias, parasitas e fungos), transmissores de inúmeras doenças infeciosas a humanos, muitas delas mortais.

São conceitos e ações bem diferentes e distintas, pois no processo de desinfestação não pode de forma alguma ser comprovado a eliminação de microrganismos patogénicos, sendo para tal necessário recorrer ao uso de um desinfetante certificado para a eliminação do ou dos microrganismos (todos os organismos que não podem ser vistos a olho nu) alvo, algo que o processo de desinfestação não pode garantir nem certificar, não sendo esse o seu verdadeiro objetivo.


Nebulizar ou pulverizar...Não é suficiente!

Deparamo-nos ainda com afirmações incorretas de diversas empresas de desinfestação, onde erradamente afirmam, que basta simplesmente nebulizar ou pulverizar, para o espaço a tratar, um produto desinfetante, realizando assim uma ação eficaz na desinfeção do local, existindo posteriormente um período de atuação e interdição de acesso de 24 a 48h. A aplicação de um produto desinfetante que tenha mais de 15 minutos de tempo de atuação e que obrigue a uma interdição do local, não só comprova o seu baixo nível e espetro de atuação, como também o seu elevado grau de toxicidade, pela proibição de entrada no local, não garantindo desta forma a eliminação de agentes biológicos, logo nenhuma ação de desinfeção é realizada ou poderá ser legitimamente atestada.


A certificada desinfeção

A DEATHCLEAN® efetua, de uma forma certificada, recorrendo ao uso de produtos biocidas desinfetantes de alto nível de atuação, a correta e comprovada desinfeção dos locais contaminados ou de elevado risco de exposição à contaminação.

Apenas poderemos considerar o serviço de desinfestação quando efetivamente se trata da eliminação de pragas, pois o serviço de desinfeção de locais contaminados (ex.: insalubres, mortes violentas, naturais, acidentais, etc.), carece sim da eliminação de microrganismos transmissores de doenças infeciosas e não de pragas urbanas (ex.: roedores, pulgas, baratas, formigas, mosquitos, etc.).

O nosso serviço de limpeza e desinfeção de locais de crime ou trauma (suicídios, homicídios e decomposições) ou de intervenções de limpeza em outros locais contaminados, não é considerado nem classificado como um serviço de desinfestação, mas sim de desinfeção e descontaminação.

DEATHCLEAN - Desinfestação | Controlo de Pragas | Pest Control

DEATHCLEAN® - Limpeza de sangue | A Sua Importância


Não é apenas um pouco de sangue...É risco biológico!

Muitas pessoas dão pouca importância a um pouco de sangue, ignorando assim os potenciais perigos presentes, tendo um enorme risco para a sua saúde e de terceiros.

Como exemplo, o vírus da Hepatite B e C, foram encontrados em locais contaminados com sangue seco mesmo após 7 dias expostos ao ambiente, como também existe ainda a possibilidade da presença do vírus VIH, o agente causador da SIDA, num cadáver com 16 semanas.

Na DEATHCLEAN®, na sua atividade de intervenção na limpeza de locais contaminados de risco biológico, a exposição profissional dos trabalhadores aos agentes biológicos pode ter origem não só no contacto com material contaminado (sangue, outros fluidos corporais, resíduos diversos e equipamentos) mas também quando estão criadas determinadas condições climatéricas de temperatura e humidade favoráveis ao desenvolvimento de microrganismos.

Dessa exposição profissional aos agentes biológicos podem resultar processos de infeção e de alergia dos quais decorre uma situação de alteração da saúde. De referir que, por agentes biológicos, entendem-se os diversos microrganismos, as culturas de células e os endoparasitas humanos, suscetíveis de provocar infeções, alergias ou toxicidade no corpo humano.


Não corra riscos. Contrate apenas profissionais habilitados.

Sendo a DEATHCLEAN® uma empresa especializada e certificada internacionalmente para intervenção em locais contaminados de risco biológico, é regra, sem exceções, e como segurança para todos os trabalhadores e clientes, considerar todo o sangue e outros fluidos corporais, bem como outros resíduos potencialmente contaminados, como resíduos perigosos infeciosos, portadores de agentes biológicos, não sendo o seu destino legal o "lixo" comum.

Deve então, para efeitos de dosimetria da perigosidade, assumir-se a potencial presença dos agentes biológicos mais severos ou graves. 

Garanta a correta e legal limpeza e desinfeção do espaço. Não tente efetuar a limpeza, não corra riscos ao contratar empresas não hablitadas e não legalizadas, proteja a sua saúde, solicitando a intervenção especializada, certificada e legalizada da DEATHCLEAN®.

Não há exceções nesta classe, a primeira vez que ignorar esta regra poderá ser a última vez que o irá fazer em perfeitas condições de saúde.

DEATHCLEAN - Limpeza e Desinfeção Especializada